Diabéticos são mais suscetíveis a doenças bucais como a periodontite

Publicado em 8 de abril de 2013 | Artigos

104ecb2140a4db1c4a7b7b5f1fa9a172
A periodontite é uma doença genética que atinge cerca de 33% dos brasileiros
Foto: Arquivo/JC Imagem

Se uma pessoa exagera no consumo de doces chega logo alguém com os famosos alertas: “Vai ficar diabético” ou “vai ter problemas nos dentes”. Mas o que pouca gente sabe é que a relação entre doenças bucais e o diabetes vai além do abuso das delícias açucaradas. A verdade é que os especialistas em saúde bucal têm encontrado muitos outros pontos em comum entre esses dois temas. Pesquisas do mundo inteiro apontam que o paciente de diabetes, em especial o tipo II ou Mellitus, possui maior propensão de desenvolver problemas bucais, sendo a cárie, a diminuição da salivação e, principalmente, as doenças periodontais as mais comuns.

A periodontite é uma doença genética que atinge cerca de 33% dos brasileiros, manifestando-se, principalmente, nos indivíduos com mais de 40 anos. Esse mal consiste num processo inflamatório na gengiva que pode causar a queda dos dentes. Os dentistas alertam que a doença se torna mais agressiva no paciente diagnosticado com Diabetes Mellitus (DM) que não consegue manter suas taxas de glicose estáveis.

periodontite-470
Ilustração: site Colgate Profissional

A situação é até mais alarmante: dados do Ministério da Saúde do Brasil identificam que mais de 12 milhões de brasileiros são diabéticos. Além disso, pesquisas sobre a saúde da boca do diabético revelam que ele possui três vezes mais chances de desenvolver doenças periodontais.
O sangramento da gengiva na boca do diabético é um importante sinal de que algo não está bem. O taxista João Luiz da Silva, de 60 anos, convive com o diabetes tipo II há mais de dez anos e já foi diagnosticado com periodontite. Ele faz uso regular das medicações indicadas para o controle das taxas de glicose, mas não respeita muito bem a dieta recomendada pelos médicos. João escova os dentes três vezes ao dia, porém não usa fio dental ou antisséptico bucal.

A fraca higiene bucal, aliada ao mal controle do diabetes, fez com que o taxista perdesse mais da metade dos dentes. Hoje lhe faltam quatro dentes da arcada inferior e lhe restam apenas três na superior. “Eu comecei a extrair os dentes porque tinha medo de ir ao dentista; aí eu deixava pra lá quando minha gengiva sangrava ou precisava fazer alguma obturação. Quando ia tratar, não tinha mais jeito”, revelou o taxista, que nem lembra quando foi a última ida ao cirurgião-dentista, mas sabe que já faz mais de dois anos.

diabetes
A saúde bucal é importante para a regulação das taxas de glicose do diabético
Foto: Bernerdo Soares/JC Imagem

Atentos a casos como o de João Luiz, os dentistas têm estudado a relação entre o DM e a periodontite. A cirurgiã-dentista Renata Cimões atua na clínica odontológica da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e é uma das estudiosas na área. Ela orienta e coordena uma pesquisa de pós-graduação que possui cerca de dez profissionais envolvidos. O objetivo do estudo é provar que, quando a boca do diabético não está saudável, fica mais difícil manter as taxas de glicose controladas.
“O diabético é mais suscetível a desenvolver inflamações, e elas são responsáveis pelo descontrole das taxas de glicose. Queremos provar que, se a boca do paciente não tiver inflamações, como a periodontite, ele pode conseguir controlar suas taxas mais facilmente”, explicou a dentista. O resultado do projeto de pesquisa, que conta com mais de 120 pacientes, deve sair no final deste ano.

dentistaUFPE_470
Os pacientes do estudo são atendidos na clínica odontológica da UFPE
Foto: Marília Banholzer/NE10

A inflamação na gengiva é um dos fatores que levam à perda dos dentes. No Brasil, menos de 22% de adultos e 8% dos idosos têm as gengivas totalmente saudáveis segundo a Associação Brasileira de Odontologia. Já o Ministério da Saúde estima que cerca de 40 milhões de brasileiros já perderam todos os dentes, e o número de perdas aumenta com o avanço da idade.

PREVENÇÃO – Mesmo sendo genética, é possível evitar o desenvolvimento da periodontite. De acordo com a cirurgiã-dentista Luiza Trigre, especilista em periodontia, o caminho para manter a saúde das gengivas e conseguir manter os dentes na boca é a higiene bucal. Ela explica que a periodontite é causada pelo acúmulo de placas na cavidade bucal, e, quando essa “sujeira” não é limpa, acaba proliferando doenças graves como a periodontite. “É necessário escovar os dentes, usar fio dental e usar um removedor das placas. Só a higiene bucal pode garantir a saúde da boca em geral”.

dentes470
Ilustração: Ministério da Saúde

SEM OS DENTES – O agravamento da periodontite por causa do descontrole do DM causa outro problema aos pacientes desses males. A perda de dentes faz com que o indivíduo mude sua alimentação, deixando de escolher comidas mais consistentes como as carnes (proteínas) e passe a se alimentar de comidas mais moles, como as massas. Essa troca causa malefícios à saúde do indivíduo e, quando se trata de um diabético, a má escolha do alimentos pode ser muito mais grave. Ainda de acordo com a dentista Renata Cimões, outra questão referente à perda dos dentes é a mudança no comportamento. “Muitas pessoas deixam de sorrir e acabam prejudicando suas relações interpessoais”.

Procure seu dentista só ele pode te ajudar a resolver esses problemas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *